terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Tchauzinho

Tchau Janeiro

que venha fevereiro...

TE JOGA NIMIM FEVEREIRO kkkkkk

bj bj 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Nietzsche para estressados _ 70

As ilusões são certamente prazeres dispendiosos, mas a destruição delas é mais dispendiosa ainda.



No livro Era uma vez uma empresa, o escritor e publicitário Gabriel García de Oro conta um caso engraçado envolvendo Stanley Kubrick e o poder dos sonhos. Nesse episódio é citado o símbolo clássico dos sonhos impossíveis: as asas de Ícaro.

        Todos os loucos por cinema sabem que quando Stanley Kubrick se propunha a fazer algo, ele fazia. Não parava até conseguir, por mais impossível que parecesse.

Certo dia, enquanto dirigia o espetacular Barry Lyndon, sugeriu rodar uma cena somente com a luz de velas. O iluminador, contrariado com o desafio, disse que era totalmente impossível. E um colaborador fez Kubrick se lembrar de uma história mitológica que o fascinava: o voo de Ícaro.

Stanley Kubrick olhou para todos e disse: 
– A fábula de Ícaro só demonstra que a cera não é um bom material para quem quer se aproximar do Sol. Deveriam ter trabalhado mais na fabricação das asas.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Passeio a Cambara do Sul

férias...e nessas férias fomos viajar...viagem realmente de casal
uma viagem a dois...como jamais tínhamos feito...
nossa só chegamos e já estou com saudade...

cidade pequena...muito pequena, acolhedora...ar puro...

fiquei muito feliz...muito feliz mesmo...
axo q soh me senti assim quando fui pedida em noivado

uma felicidade q nao tenho como explicar...

eu, meu marido a natureza e nada mais...
muito bom, incrível...

pra muitos pode parecer somente um passeio...pra mim foi inescapável...

Cris, MUITO obrigada por tudo
me surpreendeu...hehehe

TE AMO MTO

umas breve fotinhos de cada lugar onde estivemos, jah que havia prometido

clique na fota para aumentar

























quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Nietzsche para estressados _ 69

Quem não sabe dar nada não sabe sentir nada.



Quando sentimos que oferecemos algo ao próximo, de repente tomamos consciência de nosso valor. Ninguém é mais pobre que uma pessoa que não dá nada, pois é na doação que demonstramos nossa riqueza.

E não se trata apenas de bens materiais.

A maior avareza que existe é a do coração. Os que andam pelo mundo sem transmitir seus sentimentos acabam aprisionados em uma couraça, impedidos de sentir qualquer coisa, como no conto O cavaleiro preso na armadura, de Robert Fischer.

Sobre isso, o dramaturgo Alejandro Jodorowsky disse o seguinte: “O que você dá, dá. O que não dá, perde.”

Vale a pena verificar em que nível está nosso intercâmbio com o mundo. Assim como acontece com a economia dos países, a prosperidade depende da circulação de riquezas. Quando elas param, perdem o valor e a economia entra em recessão. O mesmo acontece coma riqueza do coração.

Tão importante quanto dar é saber receber. Somente as pessoas capazes de fazer o amor fluir em ambas as direções podem se considerar prósperas emocionalmente.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Nietzsche para estressados _ 68

Seus maiores bens são seus sonhos.



William Faulkner dizia que os sábios têm sonhos grandes o bastante para não perdê-los de vista enquanto os perseguem.

Todo grande feito foi concebido antes na imaginação. Na tela da mente visualizamos o que poderia acontecer antes de buscar os meios para tornar isso realidade. Os êxitos acontecem fora da imaginação, mas são primeiro alimentados por ela.

O destino de um ser humano depende do tamanho de seus sonhos. O problema é que muitas pessoas os estacionam na infância ou na adolescência e adotam posturas derrotistas do tipo “A vida é assim mesmo” ou “O que posso fazer? Preciso ganhar meu sustento”. 

Com essa atitude resignada é impossível fazer qualquer coisa relevante para o mundo. Como sugere Nietzsche em seu aforismo, nada é tão nosso quanto nossos sonhos. Por isso, quando abrimos mão deles, abandonamos também algo muito importante: a capacidade de transformar em realidade nossos desejos mais íntimos.

Faça uma lista com os grandes sonhos de sua vida. Quais se tornaram realidade? Quais fracassaram? Quais você abandonou no meio do caminho? E o mais importante: que sonho você vai tratar como seu objetivo a partir de agora?

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

sábado, 7 de janeiro de 2017

Passeio

olah meninas...estou passando aqui para visar vcs q amanhã estarei indo fazer um passeio em Cambara do sul...

espero q seja legal e que nao chova...apesar de estar marcando muita chuva...

vou tirar fotos e mostrar aqui para vcs depois...
espero q de para tirar fotos de lugares legais neh...q com chuva não é em todos os lugares q da para ter acesso...

quero ver os canyons...
:D

disse pro meu marido q vai ser como se fosse nossa lua de mel...jah q nunca saímos juntos só nós dois...hehehe

uma pequena amostra do que nos espera...




quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Nietzsche para estressados _ 67

O homem é a causa criativa de tudo o que acontece.




Após um amplo estudo sobre pessoas que, à primeira vista, pareciam favorecidas pela sorte, os economistas Álex Rovira e Fernando Trías de Bes escreveram o livro A Boa Sorte. Nele, explicam por que algumas pessoas são mais afortunadas que outras e chegam a conclusões valiosas, entre elas: 

• A sorte não dura muito tempo, pois não depende de nós. Por outro lado, a Boa Sorte dura para sempre, porque nós mesmos a criamos. 

• Os ingredientes básicos da Boa Sorte são a força de vontade e a persistência, além de uma dose de ousadia. 

• As pessoas bem-sucedidas não pertencem a uma raça distinta: o que as diferencia é sua atitude. O importante é perguntar a si mesmo: o que elas fazem que eu não faço?

• A Boa Sorte não é algo externo nem ligado ao acaso, e sim algo que só pode ser promovido pela própria pessoa, a partir da criação de novas circunstâncias.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Pais inteligentes formam sucessores, não herdeiros _ Augusto Cury



Quando nos tornamos pais, assumimos o compromisso de criar um indivíduo que levará nossa herança para o mundo - não apenas a carga genética e os bens materiais, mas também, e principalmente, nossos valores e nossa cultura.

Mas como saber que estamos acertando na criação de nossos filhos? A formação de sucessores é uma das áreas mais vitais da educação de mentes brilhantes.

Neste livro, o conceituado psiquiatra e psicoterapeuta Augusto Cury aborda dois conceitos que dizem muito sobre a nova geração e o futuro das nações: herdeiros e sucessores. 

Deixando de lado a definição clássica, Cury vê os herdeiros como gastadores imediatistas, que não enriquecem e nem cultivam os bens e conhecimentos que adquiriram de seus pais e mestres.

Já os sucessores sabem transformar o que lhes foi transmitido e pensam a médio e longo prazo.

Herdeiros vivem à sombra dos outros, enquanto sucessores constroem seu próprio legado.

Neste livro único e extremamente instrutivo, Cury apresenta um conjunto de técnicas para que pais, professores e líderes possam corrigir a rota da educação, se necessário, e saibam como preparar os jovens para serem sucessores e assumirem seus papéis na família e na sociedade.